Feminino Essencial Garuva | SC

Quando eu era pequena, nas férias, íamos viajar para o litoral, minha mãe  sempre orava antes de entrar no Mar, e nesse gesto simples, aprendi muito sobre a Mãe Natureza.

Quando entro em uma mata, sinto que estou em um templo, e assim me entrego,  me coloco a serviço dos olhos do amor, peço licença, agradeço.

Minha Mãe é Grande e eu sou pequena, assim sigo com humildade e sacralidade.

A Ná, é assim também, tem muita conexão com a Natureza, e leva dela, como boa filha, toda força e delicadeza, manifesta a mulher selvagem em pura Beleza de quem reza para alcançar a Verdade do Coração.

Eu te amo. Eu te Vejo. Eu te Sinto. Eu te Respeito.

“Não me prendo a nada que me defina. Sou companhia, mas posso ser solidão; tranquilidade e inconstância; pedra e coração. Sou abraços, sorrisos, ânimo, bom humor, sarcasmo, preguiça e sono. Música alta e silêncio. Serei o que você quiser, mas só quando eu quiser. Não me limito, não sou cruel comigo! Serei sempre apego pelo que vale a pena e desapego pelo que não quer valer…Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato. Ou toca, ou não toca.” Clarice Lispector